Brazilian Journal of Pain
https://brjp.org.br/article/doi/10.5935/2595-0118.20210027
Brazilian Journal of Pain
Original Article

Knowledge of the neonatal intensive care unit nursing team about newborn pain

Conhecimento da equipe de enfermagem de unidade de terapia intensiva neonatal sobre a dor do recém-nascido

Dayana Mourato Moura, Talita Pavarini Borges de Souza

Downloads: 0
Views: 8

Abstract

BACKGROUND AND OBJECTIVES: The absence or failure to identify and correctly manage pain impairs the recovery of the newborn admitted to the Neonatal Intensive Care Unit (NICU), with long-term consequences. The objective was to describe the knowledge of the nursing team on pain evaluation and management of term and preterm newborns in the NICU, as well as the daily challenges. 
METHODS: Descriptive, cross-sectional study with a quantitative approach, developed in a public general hospital in São Paulo. 
RESULTS: 44 professionals participated; the melody of crying (100%), heart rate (99%) and trembling of hands and feet (90%) were the most pointed changes in the face of pain. Attention deficit in school (95%), less tolerance to pain in adulthood (77%), propensity to develop depression and anxiety in adulthood (73%) were the most reported long-term consequences. Non-nutritive sucking (92%), breastfeeding (88%) and the kangaroo method (79%) were the most widely used non-pharmacological methods. The most prevalent challenges were the absence of medical conduct (23%) and difficulty in assessing specific signs of pain (16%), in addition to an absence of pain notification of 22%. 
CONCLUSION: The knowledge of the nursing team about pain in patients in the NICU demonstrated clarity of hemodynamic changes, consequences of long-term pain exposure and mastery of non-pharmacological strategies. There is underreporting of the presence of pain and the most reported challenges were the absence of medical conduct after communicating the pain and evaluation of specific signs, directing actions to improve care such as training.

Keywords

Infant, Neonatal intensive care unit, Neonatal nursing, Newborn, Pain management, Pain measurement.

Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A ausência ou falhas na identificação e manejo correto da dor prejudica a recuperação do recém-nascido internado na unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN), com consequências a longo prazo. O objetivo foi descrever o conhecimento da equipe de enfermagem sobre avaliação e manejo da dor do recém-nascido termo e pré-termo em unidade de UTIN, assim como os desafios cotidianos. 
MÉTODOS: Estudo descritivo, transversal, quantitativo, desenvolvido em um hospital geral público de São Paulo. 
RESULTADOS: Foram incluídos 44 profissionais. As alterações mais apontadas frente à dor foram melodia do choro (100%), frequência cardíaca (99%) e tremores nas mãos e pés (90%). As consequências de longo prazo mais relatadas foram: déficit de atenção na fase escolar (95%), menor tolerância a dor na vida adulta (77%), propensão a desenvolver depressão e ansiedade na vida adulta (73%). Sucção não nutritiva (92%), aleitamento materno (88%) e método canguru (79%) foram os métodos não farmacológicos mais utilizados. Os desafios mais prevalentes foram ausência de conduta médica (23%) e dificuldade na avaliação de sinais específicos de dor (16%), soma-se uma ausência de notificação da dor de 22%. 
CONCLUSÃO: A equipe de enfermagem acerca da dor em pacientes em UTIN demonstrou clareza das modificações hemodinâmicas, consequências da exposição da dor a longo prazo e domínio de estratégias não farmacológicas. Evidenciou-se subnotificação da presença de dor e os desafios mais relatados foram a ausência de conduta médica pós comunicação da dor e avaliação de sinais específicos, direcionando ações para melhoria da assistência como a realização de treinamentos.

Palavras-chave

Enfermagem neonatal, Manejo da dor, Medição da dor, Recém-nascido, Unidades de terapia intensiva neonatal. 

Submitted date:
12/17/2020

Accepted date:
03/29/2021

6164d7c5a9539543267af8a2 brjp Articles

BrJP

Share this page
Page Sections