Brazilian Journal of Pain
https://brjp.org.br/article/doi/10.5935/2595-0118.20210056
Brazilian Journal of Pain
Original Article

Musculoskeletal pain and resilience in a nephrology unit nursing professional

Dor musculoesquelética e resiliência em profissionais de enfermagem de uma unidade de nefrologia

Carmen Cristiane Schultz, Ana Luiza Pess de Campos, Ketrin Andressa Cossetin Gabi, Karine Raquel Uhdich Kleibert, Christiane de Fátima Colet, Eniva Miladi Fernandes Stumm

Downloads: 0
Views: 4

Abstract

BACKGROUND AND OBJECTIVES: Stress and experiences in nursing activities can cause physical and mental illness, making it important to monitor the health of these professionals. The aim of the study was to assess the frequency and intensity of musculoskeletal pain and the resilience of nursing professionals working in a nephrology unit.
METHODS: Cross-sectional, descriptive study, developed with nursing professionals who work in the nephrology unit of a general hospital. For data collection, a sociodemographic, labor and clinical questionnaire, a Nordic musculoskeletal symptom questionnaire, a numerical pain assessment scale and a resilience scale were used.
RESULTS: 15 nursing professionals aged between 31 and 40 years participated in the study. Pain intensity was moderate to high in different anatomical regions. The most affected body regions were shoulders, ankles, feet and the dorsal and lumbar region. 40% of participants showed moderate resilience and 33.4% high resilience. There was no association between resilience, sociodemographic and work variables and pain intensity.
CONCLUSION: The nursing team working in the nephrology unit deals with musculoskeletal pain in different anatomical areas and presents moderate to high resilience, which helps them to continue performing their functions.

Keywords

Hemodialysis, Musculoskeletal pain, Nursing.

Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O estresse e as vivências na atividade da enfermagem podem provocar adoecimento físico e psíquico, o que torna importante monitorar a saúde destes profissionais. O objetivo deste estudo foi avaliar frequência e intensidade da dor musculoesquelética e a capacidade de resiliência de profissionais de enfermagem que atuam em uma unidade de nefrologia. 
MÉTODOS: Estudo transversal, descritivo, desenvolvido com profissionais de enfermagem que atuam na unidade de nefrologia de um hospital geral. Para a coleta de dados, foram utilizados questionário sociodemográfico, laboral e clínico, Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares, escala analógica visual para a avaliação da dor e a Escala de Resiliência. 
RESULTADOS: Participaram do estudo 15 profissionais de enfermagem com idade entre 31 e 40 anos. A intensidade da dor foi de moderada a alta em diferentes regiões anatômicas. As regiões corporais mais acometidas foram ombros, tornozelos, pés e região dorsal e lombar. 40% dos participantes apresentaram resiliência moderada e 33,4% resiliência alta. Não ocorreu associação entre resiliência, variáveis sociodemográficas, laborais e intensidade da dor. 
CONCLUSÃO: A equipe de enfermagem que atua na Unidade Nefrológica sente dor musculoesquelética em diferentes regiões anatômicas e apresenta capacidade de resiliência de moderada a alta, o que auxilia na continuidade do desempenho de suas funções.

Palavras-chave

Dor musculoesquelética, Enfermagem, Hemodiálise. 

Submitted date:
01/07/2021

Accepted date:
08/16/2021

61898f64a9539506c05d2a72 brjp Articles

BrJP

Share this page
Page Sections