Brazilian Journal of Pain
https://brjp.org.br/article/doi/10.5935/2595-0118.20230097-en
Brazilian Journal of Pain
Editorial

In order to innovate, knowledge of history is important

Para inovar é preciso conhecer a história

Juliana Barcellos de Souza

Downloads: 0
Views: 45


Innovation is often associated with thinking “outside the box”, but looking at what has been done can inspire us and give us extra courage to face challenges. The change in the bylaws of the Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (Brazilian Society for the Study of Pain - SBED) allowed me to take office earlier at the invitation of Presidents José Oswaldo de Oliveira Junior (2022/2023) and Carlos Marcelo de Barros (2024/2025), to carry out the transition process with editor-in-chief Dr. Josimari Mello DeSantana (2022/2023), determining in August 2023 the start of my activities as editor-in-chief of the Brazilian Journal of Pain.

Taking over as editor-in-chief of a journal structured in the processes of submission - evaluation - revisions - approval was a foreseeable challenge. Researchers and physicians who publish scientific articles recognize and identify the challenges of the editorial process. However, the great difference about this period of transition was that it made it possible to adapt various BrJP procedures to the demands of Open Science, IDEA principles, and further adjustments to maintain and submit indexation of articles.

SBED’s scientific journal, Revista DOR - Pesquisa, Clínica e Terapêutica (PAIN Journal - Research, Clinic and Therapeutics), began under the management of President Sérgio Henrique Ferreira (1999/2000), with Dr. Márcia Pavan de Andrade as editor-in-chief. This was a major milestone for SBED as a scientific society, creating a journal with original articles that were peer-reviewed before publication. The first editor-in-chief was in charge of the Revista Dor between 1999 and 2002, and was succeeded by Dr. José Luciano Braun (2003/2004) and Dr. Fátima Aparecida Emm Faleiros Souza (2005/2008).

In 2009, Dr. Irimar de Paula Posso took over as editor-in-chief (2009/2012). Determined to place the Revista Dor in the national and international scientific spotlight, he made several editorial changes, professionalized the journal by adding Editorial Coordinator Evanilde Bronholi de Andrade, and made the journal bilingual, achieving indexing on the LILACS platform in 2010 (Vol.11, n.1, 2010)1 and on SciELO in 2011 (Vol.12, n.1, 2011)2.

The issues from 1999 to 2010 were closed access, with scientific articles restricted to SBED members. Other researchers and clinicians could request the journal or a specific article on demand at an additional cost. In the “One Step Furter!”3 editorial, published in January 2011, Dr. Irimar announces that the journal has been indexed by SciELO2 and, as of that year, it became available in open access and in bilingual digital format (English and Portuguese), with the printed version in Portuguese sent free of charge to members.

The editors in charge Dr. João Batista Santos Garcia (2013/2015) and Dr. Durval Campos Kraychete (2016/2019), persisted in careful and rigorous publishing, achieving 2016 more visibility and quality indicators for open access journals: DOAJ4 and DIADORIM5. In the Qualis Periodicals, (Sucupira Platform/CAPES) for the last quadrennium (2017/2020), Revista DOR is classified in category A36, a satisfaction for everyone and a credit to the work of many, especially those mentioned here.

Aiming for international coverage, Revista Dor changed its name to Brazilian Journal of Pain (BrJP)7 in 2018. Dr. Irimar de Paula Posso returns as editor-in-chief for another 2 years (2020-2021) of work for SBED’s scientific journal. Between 2018 and 2021, the LILACS/BIREME8, SciELO9, and DIADORIM5 indexations were updated, recognizing the change of name of Revista DOR, indicating the migration of the journal to its new name BrJP. In 2022, Dr. Josimari Melo de Santana took over as editor-in-chief for the 2022-2023 biennium. In August 2023, I began my activities sharing the editorship of BrJP with Dr. Josimari, thus facilitating the transition of this highly responsible position.

The opportunity to start as editor-in-chief in August allowed me to take part in the event celebrating SciELO’s 25th anniversary in September and to get up to speed on the editorial processes of Open Science and Citizen Science. In a previous editorial10, I addressed the importance of Open Science for the study and treatment of pain. In November, I took part in the Meeting of the Associação Brasileira de Editores Científicos (Brazilian Association of Scientific Editors - ABEC), sharing with other editors the merits and challenges of being an editor of a scientific journal in Brazil.

I would like to highlight for future editors the importance of getting to know the people who run the institutions SciELO and ABEC, because their mission is to help researchers, clinicians, and professors who take on the role and leadership of journals, and they have certainly made and will make all the difference in this journey as editor-in-chief. Participating in these two events as editor-in-chief is another of SBED’s investments in BrJP.

In 2024, BrJP will start on a new level, in accordance with the Open Science guidelines requested by SciELO, with the new DOAJ registration for BrJP, with our data repository for publishing raw data, continuous publishing, accepting Preprints and with associate editors participating in the process and with their names identified next to the final published article.

Since 2009, Mrs. Evanilde has been the editorial coordinator of Revista Dor and BrJP. Her experience, rigor and commitment directly reflect the success of this journal.

There’s a lot ahead of us, quality scientific dissemination, which involves social networks, videos, podcasts, interviews, infographics, as well as other resources that bring science closer to the population.

BrJP articles are also accessible through the open access publishing portals OASISBR11 and LaReferencia12. In January 2024, BrJP will be in the process of being evaluated for indexation in Redalyc/AmeliCA, Scopus/Elsevier and Milingus/IBICT.

For the classification of the four-year period (2017/2020), Qualis Periódicos (Sucupira/CAPES) did not consider our history of Revista DOR, classifying BrJP (2018/2020) in the B16 category. Despite the know-how from the history of Revista DOR, BrJP is considered a new journal by some institutions. When the rules are clear, the path is only arduous, moving forward together, in favor of the scientific strengthening of BrJP. As SBED’s President for the 2023-2024 biennium, Dr. Carlos Marcelo de Barros, points out: BrJP is our most important scientific asset.

This editorial marks the beginning of another new stage for BrJP, starting continuous publishing. I conclude by paraphrasing Herodotus, the Greek geographer and historian: “think about the past in order to understand the present and envision the future.”

In my eyes, I appreciate the past, I study it in order to understand the present and envision the future.

Juliana Barcellos de Souza

Santa Catarina State University RAMP Research Group - Alke Institute Educa a Dor, Florianópolis, SC, Brazil.

https://orcid.org/0000-0003-4657-052X. E-mail: juliana@educaador.com

Resumo

Inovação costuma ser associada com pensar “fora da caixa”, mas olhar para tudo que foi feito pode nos inspirar e permitir uma coragem extra para enfrentar desafios. A alteração do estatuto da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED) permitiu antecipar minha posse ao cargo a convite dos Presidentes José Oswaldo de Oliveira Junior (gestão 2022/2023) e Carlos Marcelo de Barros (gestão 2024/2025), para realizar o processo de transição junto a editora-chefe Dra. Josimari Mello DeSantana (2022/2023), motivo pelo qual em agosto de 2023 iniciei minhas atividades como editora-chefe do Brazilian Journal of Pain.

Assumir como editora-chefe uma revista estruturada nos processos de submissão - avaliação - revisões - aprovação era um desafio previsível. Pesquisadores e clínicos que publicam artigos científicos reconhecem e identificam os desafios de etapas do processo editorial. Contudo, o grande diferencial deste período de transição foi permitir adequar várias condutas da BrJP às demandas da Ciência Aberta, dos princípios IDEA e de ajustes para manter e submeter as indexações.

O periódico científico da SBED, Revista DOR - Pesquisa, Clínica e Terapêutica, iniciou na gestão do Presidente Sérgio Henrique Ferreira (1999/2000) tendo como editora-chefe a Dra. Márcia Pavan de Andrade. Este foi um grande marco da SBED enquanto sociedade científica, com a publicação do periódico com artigos originais e revisado por pares antes da publicação. A primeira editora-chefe esteve à frente da Revista Dor entre 1999 e 2002, sendo sucedida pelo Dr. José Luciano Braun (2003/2004) e Dra. Fátima Aparecida Emm Faleiros Souza (2005/2008).

Em 2009, assumiu como editor-chefe o Dr. Irimar de Paula Posso (2009/2012). Determinado a colocar a Revista Dor em destaque no âmbito científico nacional e internacional, promoveu várias alterações editoriais, profissionalizou a revista agregando a Coordenadora Editorial Evanilde Bronholi de Andrade, uma Coordenação Editorial e tornou a revista bilíngue, conseguindo a indexação na plataforma LILACS em 2010 (Vol.11, n.1, 2010)1 e na SciELO em 2011 (Vol.12, n.1, 2011)2.

As edições de 1999 até 2010 eram de acesso fechado, com artigos científicos restritos aos membros da SBED, os demais pesquisadores e clínicos podiam solicitar sob demanda com custo adicional a revista ou um artigo específico. No editorial “One Step Furter!”3, publicado em janeiro de 2011, Dr. Irimar anuncia a indexação à SciELO2 e a Revista Dor a partir deste ano torna-se disponível em acesso aberto, formato digital bilíngue (inglês e português), com a versão impressa em português enviada gratuitamente aos associados.

Os editores-chefes Dr. João Batista Santos Garcia (2013/2015) e Dr. Durval Campos Kraychete (2016/2019) persistem na editoração cautelosa e criteriosa, alcançando em 2016 mais visibilidade e indicadores de qualidade dos periódicos de acesso aberto: DOAJ4 e DIADORIM5. No Qualis Periódicos (Plataforma Sucupira/CAPES) para o último quadriênio (2017/2020) a Revista DOR está classificada na categoria A36, uma satisfação para todos e mérito do trabalho de muitos, em especial destes que aqui foram citados.

Almejando abrangência internacional, a Revista Dor tem seu nome alterado para Brazilian Journal of Pain (BrJP)7 em 2018. O Dr. Irimar de Paula Posso retorna como editor-chefe para mais 2 anos (2020-2021) de trabalho pela revista científica da SBED. Entre 2018 e 2021, as indexações LILACS/BIREME8, SciELO9 e DIADORIM5 são atualizadas, reconhecendo a alteração do nome de Revista DOR, indicando a migração da revista para seu novo nome BrJP. Em 2022, assume como editora-chefe a Dra. Josimari Melo DeSantana para o biênio 2022-2023. Em agosto de 2023, iniciei minhas atividades compartilhando com a Dra. Josimari a editoria da BrJP, facilitando assim a transição desse cargo de elevada responsabilidade.

A oportunidade de iniciar como editora-chefe em agosto permitiu minha participação no evento de comemoração de 25 anos da SciELO em setembro e me atualizar sobre os processos editoriais da Ciência Aberta e Ciência Cidadã. Em um recente editorial10, abordei a importância da Ciência Aberta para o estudo e tratamento da dor. Em novembro participei do Meeting da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC), compartilhando com outros editores méritos e desafios de ser editor de um periódico científico no Brasil.

Gostaria de deixar registrado para futuros editores a importância de conhecer as pessoas que conduzem estas duas instituições SciELO e ABEC, pois eles têm como missão auxiliar pesquisadores, clínicos e professores que assumem o cargo e a liderança dos periódicos e, com certeza, fizeram e farão toda a diferença para esta jornada de editora-chefe. Participar destes dois eventos na condição de editora-chefe, sendo este outro investimento da SBED para com a BrJP.

Em 2024, a BrJP inicia em outro patamar, em conformidade com as diretrizes de Ciência Aberta solicitadas pela SciELO, com o novo registro do DOAJ para a BrJP, com nosso repositório de dados para publicação de dados brutos, com publicação em fluxo contínuo, aceitando Preprints e com editores associados participando do processo e com seus nomes identificados junto ao artigo final publicado.

Desde 2009, a Sra. Evanilde está na coordenação editorial da Revista Dor e da BrJP. Sua experiência, rigor e compromisso refletem diretamente o sucesso deste periódico.

Há muito pela frente, a divulgação científica de qualidade, que envolve redes sociais, vídeos, podcasts, entrevistas, infográficos, assim como outros recursos que aproximam a ciência da população.

Os artigos da BrJP também estão acessíveis pelos portais de publicação acesso aberto OASISBR11 e no repositório LaReferencia12. Em janeiro de 2024, a BrJP estará em processo de avaliação para indexação na Redalyc/AmeliCA, Scopus/Elsevier e Milingus/IBICT.

Pela classificação do quadriênio (2017/2020), o Qualis Periódicos (Sucupira/CAPES) não considerou o nosso histórico da Revista DOR, classificando a BrJP (2018/2020) na categoria B16. Apesar do know-how pelo histórico da Revista DOR, a BrJP é considerada uma nova revista por algumas instituições. Quando as regras são claras, o caminho é apenas árduo, avante juntos, em prol do fortalecimento científico da BrJP. Como destaca o Presidente da SBED para o biênio 2023-2024, Dr. Carlos Marcelo de Barros, a BrJP é nosso mais importante patrimônio científico.

Este editorial marca o início de mais uma nova etapa da BrJP, com as publicações em fluxo contínuo. Concluo, parafraseando Heródoto, geógrafo e historiador grego: «pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro”. Aos meu olhos, agradeço o passado, estudo para compreender o presente e idealizar o futuro.

Juliana Barcellos de Souza

Universidade do Estado de Santa Catarina Grupo de Pesquisa RAMP - Instituto Alke Educa a Dor, Florianópolis, SC, Brasil.

https://orcid.org/0000-0003-4657-052X. E-mail: juliana@educaador.com

References

1 Registro Revista DOR na base de dados LILACS/BIREME de 2003 à 2017. http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=1806-0013 HYPERLINK “http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=1806-0013⟨=pt”; HYPERLINK “http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=1806-0013⟨=pt”lang=pt.

2 Registro Revista DOR na base de dados SciELO de 2011 à 2017. https://www.scielo.br/j/rdor/grid.

3 Posso IP. One Step Further! Editorial. Rev Dor. São Paulo, 2011;12(1):4.

4 Registro Revista DOR na base de dados/repositório DOAJ de 2016 à 2017. https://doaj.org/toc/2317-6393.

5 Registro Revista DOR e BrJP na base de dados/repositório DIADORIM desde 2016. https://diadorim.ibict.br/handle/1/2165?mode=full.

6 Qualis Periódicos da Plataforma Sucupira/Capes com a classificação dos periódicos. https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacao-Qualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf.

7 Registro da BrJP no ISSN. https://portal.issn.org/resource/ISSN/2595-3192.

8 Registro BrJP na base de dados LILACS/BIREME desde 2018.

1 http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=2595-0118 HYPERLINK “http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=2595-0118⟨=pt”; HYPERLINK “http://portal.revistas.bvs.br/index.php?issn=2595-0118⟨=pt”lang=pt.

9 Registro BrJP na base de dados SciELO desde 2018.

10 Souza JB. Princípios da Ciência Aberta no BrJP e o estado da arte de outros periódicos científicos sobre dor. Editorial. BrJP. 2023;6(4):343-5.

11 Portal brasileiro de publicações e dados científicos em acesso aberto OASISBR/IBICT https://oasisbr.ibict.br/vufind/.

12 Red de repositorios de acesso abierto a la ciencia. LaRefencia. https://www.lareferencia.info/pt/.
 

662a7bc9a953956393105ba3 brjp Articles

BrJP

Share this page
Page Sections