Brazilian Journal of Pain
https://brjp.org.br/article/doi/10.5935/2595-0118.20200046
Brazilian Journal of Pain
Original Article

Green medicinal clay in the treatment of the unspecified lumbar pain: clinical trial

Argila medicinal verde no tratamento da dor lombar inespecífica: ensaio clínico

Mariana Terezinha Delfino; Graciela Mendonça da Silva de Medeiros; Aline Daiane Schlindwein

Downloads: 1
Views: 914

Abstract

BACKGROUND AND OBJECTIVES: Lower back pain is one of the musculoskeletal diseases with the highest incidence all over the world. In approximately 85% of the cases it is classified as unspecified, which means that it has no evident cause. With that in mind, geotherapy is a non-invasive technique that allows control over the lower back pain. The goal of this study was to evaluate the results of geotherapy on the relief of the unspecified lower back pain.

METHODS: Semi-experimental quantitative clinical trial, comparing before and after states, including 26 participants who received four applications of green clay cataplasm on the lower back region with an interval of seven days. The pain intensities before and after the interventions were evaluated by a visual analogical scale and an Oswestry Disability Index questionnaire. For the data analysis, the Kolmogorov-Smirnov and t Student methods were used, with a significance level of 5% (p<0.05).

RESULTS: There was significant statistics that showed lower back pain relief with the cataplasm mode geotherapy using green clay, reaching p = 0.0001 in the visual analog scale.

CONCLUSION: The geotherapy with green clay applied on the lower back region of the body was effective on diminishing of the unspecified chronic lower back pain.

Keywords

Chronic pain, Complementary therapies, Low back pain

Resumo

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor lombar é uma das doenças musculoesqueléticas de alta incidência em todo o mundo. Aproximadamente em 85% dos casos ela é classificada como inespecífica, significando que não tem causa evidente. Diante disso, a geoterapia é uma técnica não invasiva que possibilita controle da dor lombar. O objetivo deste estudo foi avaliar os resultados da geoterapia no alívio da dor lombar inespecífica.

MÉTODOS: Ensaio clínico, semi-experimental, do tipo antes e depois, de natureza quantitativa, que incluiu 26 participantes que receberam quatro sessões de cataplasma de argila verde na região lombar com intervalo de sete dias. A intensidade da dor antes e depois das intervenções foi avaliada pela escala analógica visual e o questionário Oswestry Disability Index. Para análise dos dados foram utilizados os testes Kolmogorov-Smirnov e t de Student, com nível de significância de 5% (p<0,05).

RESULTADOS: Houve significância estatística com a geoterapia na modalidade cataplasma lombar com argila verde no alívio da dor lombar, obtendo-se p=0,0001 para a escala analógica visual.

CONCLUSÃO: A geoterapia com argila verde aplicada na região lombar foi efetiva na redução da intensidade da dor lombar crônica inespecífica.

Palavras-chave

Dor crônica, Dor lombar, Terapias complementares

References

Silveria APB, Nagel LZ, Pereira DD, Morita AK, Spinoso DH, Navega MT. Efeito imediato de uma sessão de treinamento do método Pilates sobre o padrão de cocontração dos músculos estabilizadores do tronco em indivíduos com e sem dor lombar crônica inespecífica. Fisioter Pesqui. 2018;25(2):173-81.

Desconsi MB, Bartz PT, Flegenbaum TR, Candotti CT, Veira A. Tratamento de pacientes com dor lombar crônica inespecífica por fisioterapeutas: estudo transversal. Fisioter Pesqui. 2019;26(1):15-21.

Medeiros G, Marimon R. Geoterapia nos cuidados a saúde. Termalismo e Crenoterapia. 2017.

Portaria número 702 de 21 de março de 2018. Altera a Portaria de Consolidação nº 2/GM/MS, de 28 de setembro de 2017, para incluir novas práticas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares - PNPIC. Diário Oficial União. 2018:65.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. 2012.

Biriti BMAB, Buriti JS, Cartaxo JM, Neves GA. Estudo das propriedades estruturais, térmicas, químicas e granulométricas de argilas com perspectivas em tratamentos medicinais, terapêuticos e estéticos. 2017:585-94p.

Silva JN, Cusatis Neto R. Prevalência de dor lombar em pessoas que trabalham na postura sentada. UNILUS Ensino e Pesquisa. 2016;13(32):67-75.

Gomes Neto M, Sampaio GS, Santos OS. Frequência e fatores associados a dores musculoesqueléticas em estudantes universitários. Rev Pesq Fisioter. 2016;6(1):26-34.

Malta DC, Oliveira MM, Andrade SSCA, Caiaffa WT, Souza MFM, Bernal RTI. Factors associated with chronic back pain in adults in Brazil. Rev Saude Publica. 2017;51(Suppl 1):9s.

Morais ML, Silva VK, Silva JM. Prevalence of low back pain and associated factors among physiotherapy students. BrJP. 2018;1(3):241-7.

Hartivsen J, Hancock MJ, Kongsted A, Louw Q, Ferreira ML, Genevay A. What low back pain is and why we need to pay attention. Lancet. 2018;391(10137):2356-67.

Rivas LDA, Valles JLR, Elías DR. Efecto de la arcilla medicinal en quemaduras de segundo grado en pacientes del Hospital Nacional Alberto Sabogal Sologuren. Rev Peru Med Intergr. 2016;1(1):25-30.

Santos EC, Andrade RD, Lopes SGR, Valgas C. Prevalence of musculoskeletal pain in nursing professionals working in orthopedic setting. Rev Dor. 2017;18(4):298-306.

Sousa PO, Leal SS, Carvalho MEIM. Lombalgia, hábitos posturais e comportamentais em acadêmicos de Fisioterapia e Psicologia de uma instituição de ensino superior. Fisioter Bras. 2017;18(5):563-70.

Morais LC, Zanuto EAC, Queiroz DC, Araújo MYC, Rocha APR, Codogno JS. Associação entre distúrbios do sono e doenças crônicas em pacientes do Sistema Único de Saúde. J Phys Educ. 2017;28:1-9.

Chun MY, Choo BJ, Yoo SH, Oh B, Kang JS, Yeon C. Association between sleep duration and musculoskeletal pain. Medicine. 2018;97(50):1-7.

Medeiros GM, Sasso GT, Schlindwein AD. Results of foot reflexotherapy in acute lower back pain of the nursing team: controlled randomized clinical test. BrJP. 2018;1(4):305-9.

Cunha MS, Pereira MC. Métodos não farmacológicos para tratamento de dor em idosos. Rev JRG de Estudos Acadêmicos. 2019;2(5):309-17.

Artioli DP, Tavares ALF, Bertolini GR. Auriculotherapy: neurophysiology, points to choose, indications and results on musculoskeletal pain conditions: a systematic review of reviews. BrJP. 2019;2(4):356-61.


Submitted date:
11/13/2019

Accepted date:
05/12/2020

5f6a51c50e88254d779fefc6 brjp Articles

BrJP

Share this page
Page Sections